Casamento entre um Muçulmano e uma não Muçulmana

Condições para o casamento entre um muçulmano e uma não muçulmana

Diz Allah, Exaltado e Glorificado Sejas, no Sagrado Quran:

“...Está-vos permitido casardes com as castas, dentre as crentes e com as castas, dentre aquelas que receberam o Livro antes de vós, contanto que as doteis, sendo castos, não fornicadores e não as tomando jamais como amantes..”. (Al Maida 5: 5)

O muçulmano pode se casar, além das mulheres muçulmanas, com aquelas que receberam os Livros antes, quer dizer, as cristãs e as judias, desde que estas acreditem em Deus, o Único, não vocifere blasfêmias, atribuindo filhos ou parceiros a Allah (Exaltado e Glorificado Sejas) e sejam casta. Sendo muçulmano, o homem deve se casar sempre dentro dos princípios islâmicos, independente da esposa ser cristã ou judia. Deve ser dado o dote à esposa e ter a presença das testemunhas e do wakil (guardião) da noiva; a relação não pode ser mantida em segredo, como amantes, caso isso aconteça, será uma relação ilícita.

Embora haja permissão para o casamento com as mulheres do Livro, não é aconselhável que um muçulmano as despose, uma vez que isso pode acarretar muitos problemas, principalmente quanto à educação dos filhos, que necessariamente devem ser educados dentro dos princípios islâmicos.

Sheikh Ibn Baaz (que Allah tenha misericórdia dele) disse: "Hoje em dia, não é aconselhável se casar com uma mulher do Livro ( judia ou cristã ), porque isso está repleto de perigos, especialmente no que diz respeito à educação dos filhos .

Se a mulher kitaabi (Livro) é conhecido por ser casta e por manter-se longe das coisas que levam a ações imorais , então é permitido, porque Allah (Exaltado e Glorificado Sejas) nos permitiu casar com elas e comer de sua comida.

Mas hoje em dia existe o temor de um grande mal para aqueles que se casam com as mulheres do Livro: Elas podem chamá-lo para a sua religião e podem levar seus filhos a tornarem-se cristãos, esse é um grande risco. Para assegurar-se disto, o melhor é que o crente não se case com elas.

Porém, se o homem precisa fazer isso, para que ele possa manter-se casto e recatar seu olhar, então não há nada de errado em casar-se com uma mulher seguidora dos Livros e ele deve se esforçar para chamá-la para o Islam e cuidar para que ela não conduza as crianças para descrença (kufr)". Fim da citação da Fatwa Islamiyah (3/172) .

Fora as mulheres seguidoras dos Livros e mesmo estas com ressalvas, as não muçulmanas são proibidas aos muçulmanos e isso é claramente evidenciado no Sagrado Quran.

Diz Allah, Exaltado e Glorificado Sejas: "Não desposareis as idólatras até que elas se convertam, porque uma escrava crente é preferível a uma idólatra, ainda que esta vos apraza. Tampouco consintais no matrimônio das vossas filhas com os idólatras, até que estes se tenham convertido, porque um escravo fiel é preferível a um idólatra livre, ainda que este vos apraza. Eles arrastam-vos para o fogo infernal; em troca, Deus, com Sua benevolência, convoca-vos ao Paraíso e ao perdão e elucida os Seus versículos aos humanos, para que Dele recordem." (Al Baqara 2: 221).

E ainda:  "Ó vós que credes, quando as crentes vos chegarem, como emigrantes, examinai-as, muito embora Deus conheça a sua fé melhor do que ninguém; porém, se as julgardes crentes, não as restituais aos incrédulos, porquanto elas não lhes cabem por direito, nem eles a elas; porém, restituí o que eles gastaram (com os seus dotes). Não sereis recriminados se as desposardes, contanto que as doteis; porém, não vos apegueis à tutela das incrédulas, mas exigi a restituição do que gastastes no seu dote; e que (os incrédulos), por sua vez, exijam o que gastaram. Tal é o Juízo de Deus, com que vos julga, porque Deus é Sapiente, Prudentíssimo." (Surat Al-Mumtaĥanah 60: 10).

Nesse último versículo é importante entendermos o sentido da palavra "examinai-as." Quando é dito: "quando as crentes vos chegarem ... examinai-as", significa que deve-se verificar o motivo pelo qual a mulher fugiu de seu marido e migrou para junto dos muçulmanos. E, embora Allah (Exaltado e Glorificado Sejas), saiba melhor do que qualquer um sobre a fé, é importante certificar-se que ela não está fugindo devido a maus tratos do marido, nem está envolvida amorosamente com algum dos muçulmanos. O motivo para ter deixado seu marido e sua cidade deve ser a vontade de praticar o deen (modo de vida islâmico).

Quando um muçulmano se casa por amor, quer o melhor para aquela pessoa, então ele faz de tudo para que seu cônjuge aceite a Verdade e se converta ao Islam. Caso isso não ocorra, sendo a esposa uma mulher de fato seguidora dos Livros (Torá e Evangelho), não há mal em ficar com ela, desde que os filhos sejam educados como muçulmanos. Caso a esposa seja uma das que não creem em Allah, o Único, o certo é o divórcio, pois o amor a Allah, Exaltado e Glorificado Sejas, deve superar qualquer amor mundano!