O Zakat

Louvado seja Deus, Senhor do Universo, que a paz e as bênçãos de Deus estejam sobre seu Nobre Profeta, sua família, seus companheiros e sobre todos os muçulmanos até o dia do Juízo Final.

Meus queridos irmãos, nosso discurso de hoje trata do terceiro dos cinco pilares que temos no Islam, que é o Zakat. Quando falamos de um pilar temos que nos lembrar de seu valor como em um edifício que sem este pilar fica sem sustentação; o Zakat é muito importante para completar a nossa religião, ele é um pilar de sustentação e é obrigatório para os muçulmanos que tenham condições financeiras para pagá-lo.

Queridos irmãos, se nós pesquisarmos a palavra Zakat no dicionário da língua árabe encontraremos três significados: acréscimo, purificação e bênçãos.

Na realidade, são exatamente esses valores que há no Zakat. Quando um muçulmano separa e paga uma parte do seu dinheiro aos necessitados está aumentando sua própria renda. Mesmo que pareça estar diminuindo ou gastando seu dinheiro, Deus irá multiplicar e recompensar cada centavo em 700 vezes. Deus nos diz no Alcorão Sagrado: “O exemplo dos que gastam dos seus bens pela causa de Deus é como o de um grão que produz sete espigas, que irão produzir, cada espiga, cem grãos. Deus multiplica mais ainda quem Lhe apraz, porque é Munificente, Sapientíssimo.” (2:261)

Deus também vai abençoar o dinheiro daqueles que entreguem seu Zakat; é preciso entender que um pouco de dinheiro com a benção de Deus é muito e que muito dinheiro sem as bênçãos de Deus é pouco. O Zakat é uma purificação da alma das pessoas apaixonadas por dinheiro, isso as purifica assim como a alma dos necessitados para que não sejam tomados pelo sentimento de inveja por ninguém. Em outras palavras, o Zakat purifica quem pagou e quem o recebeu além da purificação do dinheiro que ainda ficou com ele.

Queridos irmãos, quando lemos o Alcorão Sagrado vemos que a reza e o Zakat estão intrinsecamente ligados: onde se faz referência à reza também se faz ao Zakat, isso significa que o Zakat tem a mesma importância que a reza; como a reza fortalece a ligação entre a pessoa e Deus, o Zakat fortalece a ligação das pessoas com a sociedade.

Deus falou no Alcorão Sagrado: “Praticai a oração, pagai o Zakat e inclinai-vos, juntamente aos que se inclinam.” (2:43)

Também lemos no Alcorão: “Homens, a quem não entretém nem comércio nem venda da lembrança de Deus e do cumprimento da oração e da concessão de az-zakah (...)”. (24:37)

Vejamos a surata Al-Hajj: “Esses são os que, se os empossamos na terra, cumprem a oração e concedem az-zakah (...)”. (22:41)

Vemos também a importância do Zakat nos ditos do profeta Muhammad quando este mandou um companheiro chamado Moa’aht para divulgar o Islam no Yemen e lhe disse: “Chame o povo para testemunhar que Deus é único e que Muhammad é seu mensageiro. Quando aceitarem, informe-lhes que Deus os obrigou a orar cinco vezes ao dia; quando aceitarem, fale que Deus ordenou o Zakat, que o dinheiro deve ser pago pelos ricos e entregue aos pobres”.

Queridos irmãos, o valor do Zakat a ser pago é de 2,5% e é obrigatório a todo muçulmano rico. É considerado rico aquele que tenha 85 gramas de ouro, no mínimo, e que tenha mantido esse valor durante um ano completo, bem como é devido também sobre qualquer mercadoria e sobre seus meios de comercialização. O Zakat não é devido sobre o patrimônio fixo que não gera lucro. As pessoas merecedoras de receber o Zakat são aquelas que Deus falou no Alcorão Sagrado, na surata At-Taubah: “As esmolas são tão-somente para os pobres, para os necessitados, para os funcionários empregados em sua administração, para aqueles cujos corações têm de ser conquistados, para a redenção dos escravos, para os endividados, para a causa de Deus e para o viajante*; isso é um preceito emanado de Deus, porque é Sapiente, Prudentíssimo”. (9:60).

Queridos irmãos, o Zakat é uma responsabilidade do rico e um direito do pobre; há algo que não deve ser esquecido na sociedade: o rico vai ser julgado no dia do Juízo Final por não ter pago esse direito aos necessitados. No Alcorão Sagrado, surata At-Taubah, Deus nos fala: “(...) E aos que entesouram o ouro e a prata e não os empregam na causa de Deus, anuncia-lhes (ó Muhammad) um doloroso castigo”. (9:34)

Wal-hamdu Lil-lah Rabil-'Alamin!

(*) Nesta ocasião, é considerado viajante aquele que está fora de seu país e não tem condições de regressar.

Sheikh Mohamad Al Bukai - 04/09/2009