As Doações

O amor ao dinheiro é uma atitude natural do ser humano, entretanto, esse amor pode chegar a um ponto de adoração fazendo com que a pessoa não tenha mais escrúpulos. Deus descreveu essa situação no Alcorão: “E amais as riquezas, com excessivo amor” (89:20). Deus falou também: “Ensinou ao homem o que este não sabia. Em verdade, o homem transgride quando se vê rico.” (96:5-6)

Para que sejamos adoradores de Deus e não do dinheiro, Deus nos informou que Ele é o dono deste bem da vida. Nós apenas usufruímos desses bens, mas não somos os verdadeiros proprietários deles. Deus nos fala no Alcorão Sagrado: “... e gratificai-os com uma parte dos bens que Deus vos agraciou...” (24:33). Vejamos também o seguinte versículo: “Crede em Deus e em Seu Mensageiro, e fazei caridade daquilo que Ele vos fez herdar. E aqueles que, dentre vós, crerem e fizerem caridade, obterão uma grande recompensa.” (57:7)

Deus nos mostra no Alcorão que a ele pertencem esses bens, portanto, é nossa obrigação o pagamento do Zakat, já mencionado no sermão da semana passada, bem como as demais doações. A diferença entre os dois é que o primeiro é pertinente aos ricos enquanto que este último, pode ser praticado por qualquer pessoa, seja rico ou pobre.

Queridos irmãos, o Profeta Muhammad falou que o ato de doar é uma prova da verdadeira fé de um crente.

O ato de doar proporciona uma sensação de tranqüilidade e felicidade, talvez até mais para quem doa do que para quem recebe. Um exemplo é o resultado positivo tanto físico quanto espiritualmente que uma pessoa recebe quando faz uma doação de sangue.

Queridos irmãos, a doação nos ensina a olhar para as pessoas ao nosso redor e não somente para nós mesmos; essa prática nos torna uma pessoa generosa e nos afasta do egoísmo.

A doação não precisa ser necessariamente financeira, há muitas formas de ajudar as pessoas necessitadas, por exemplo, a prestação de um serviço beneficente voluntário, a doação de sangue, disponibilização de uma parte de seu tempo para ensinar os mais jovens, entre outras atitudes benevolentes.

Meus irmãos, o Alcorão Sagrado nos dá alguns conselhos para que nossa doação seja aceita por Deus:

A sinceridade – é a essência de todas as formas de adoração a Deus: “E lhes foi ordenado que adorassem sinceramente a Deus” (98:5);

A legalidade do dinheiro doado – é imprescindível que esse dinheiro ou bem seja lícito. O Profeta nos disse: “Se o indivíduo der em caridade algo igual mesmo a uma tâmara, fruto de seus ganhos legítimos, Deus irá aceitar a caridade como pura...”.

A discrição nas doações “Se fizerdes caridade abertamente, quão louvável será! Porém, se a fizerdes, dando aos pobres dissimuladamente, será preferível para vós, e isso vos absolverá de alguns dos vossos pecados, porque Deus está inteirado de tudo quanto fazeis. (2:271)

A doação sem ostentação – “Ó fiéis, não desmereçais as vossas caridades com exprobração ou agravos como aquele que gasta os seus bens, por ostentação, diante das pessoas que não crê em Deus, nem no Dia do Juízo Final...” (2:264)

Doar o seu melhor – “Ó fiéis, contribuí com o que de melhor tiverdes adquirido, assim como com o que vos temos feito brotar da terra, e não escolhais o pior para fazerdes caridade, sendo que vós não aceitaríeis para vós mesmos, a não ser com os olhos fechados...” (2:267)

O dinheiro que realmente nos pertence é aquele que usamos para a vestimenta, para a alimentação ou que é transformado em hassanat – por meio da doação; o restante acaba ou é repassado aos herdeiros após a morte. Certa vez, o Profeta falou aos seus companheiros: “’Qual de vocês ama os bens que deixará aos seus herdeiros mais do que seus próprios bens?’ Eles responderam: ‘Ò Mensageiro de Deus, entre nós não há aquele que ame os bens de nossos herdeiros mais do que nossos próprios bens’. Então, o Profeta respondeu: ‘Os bens próprios são os que foram antecipados, os que ficarão serão dos herdeiros”’.

Queridos irmãos, o Profeta falou que há três importantes coisas que ficam para a pessoa após sua morte: a doação, o conhecimento e o filho virtuoso que faz súplica para ele; sua vida termina com a morte, mas a recompensas continuam por meio delas continuam.

Precisamos abrir nossa “conta” para pouparmos; e nela precisamos depositar as doações que vamos receber no dia do Juízo.

Deus seja louvado!

Sheikh Mohamad Al Bukai - 11/09/2009