Os Tesouros do Mês Sagrado de Ramadan!

Queridos irmãos, agradecemos a Deus que nos dá a oportunidade de nos deixar vivos, atrasando assim a nossa morte para não partirmos antes do Ramadan.

Irmãos, os seres humanos hoje em dia procuram tesouros minerais, fazem muitos esforços para tirá-los debaixo da terra pelo seu valor material e financeiro, mas não dão valor às coisas celestes porque não sabem que acima da terra temos os tesouros celestes; estes sim devemos procurá-los e alcançá-los. Mas será que os tesouros celestes são procurados da mesma forma que os tesouros terrenos? Queridos irmãos, no mês do Ramadan temos muitos tesouros celestes a procurar para aproveitá-los com sabedoria.

Hoje, chamarei a atenção de todos sobre três tesouros celestes aconselho a todos nós como podemos aproveitá-los. Esses três tesouros só podem ser encontrados no mês sagrado do Ramadan.

1 – O primeiro tesouro: o Alcorão Sagrado

É a palavra de Deus, a nossa tábua de salvação que Ele nos mandou a terra para que todos se apoiassem nele. Temos de colocar o Alcorão a nossa frente pois o nosso profeta Muhammad disse que quem o coloca a frente será conduzido ao paraíso pelo próprio Alcorão, mas quem o coloca atrás, será conduzido ao inferno. O mês do Ramadan é o mês do Alcorão, além de ser um mês de jejum, por isso é evidenciado neste período do ano. Deus fala no Alcorão Sagrado: “O Ramadan é o mês em que foi revelado o Alcorão, como orientação para a humanidade...” (2:185). E falou também: “Por certo, fizemo-lo descer na noite de al Qadr...” (97:1)

Vamos então, neste mês, fortalecer ainda mais nossa relação com o Alcorão por meio da recitação, do aprendizado, da meditação e da prática. Lembro a todos que apenas recitá-lo não é o suficiente, é preciso praticá-lo obedecendo a todas suas ordens.

Um pai tinha três filhos que foram trabalhar fora do país. Certo tempo depois, esse pai mandou uma mensagem para cada um deles pedindo uma ajuda: o primeiro recebeu a mensagem e ficou muito emocionado e passou todo o dia lendo e repetindo a mensagem. O segundo filho recebeu a mesma mensagem, fez uma cópia e a colocou em um quadro na parede de seu escritório para ficar se lembrando de seu pai. O terceiro filho, ao ler a mesma mensagem, providenciou em seguida a ajuda que seu pai havia lhe pedido. Dos três filhos, quem teve a atitude correta? Sem dúvida que o terceiro filho teve a atitude correta, pois ele leu, entendeu e praticou o conteúdo da mensagem de seu pai.

Vemos muitas pessoas chorar de emoção ao recitar o Alcorão, colocam a Sagrada palavra de Deus no espelho do carro ou na parede do escritório ou da casa, mas na hora de praticá-la não o fazem corretamente.

2 – O segundo tesouro: o jejum

Este é o mês do jejum, mas não qualquer jejum, mas aquele verdadeiro, que leva o jejuador para a Taquah (temor a Deus), que é o principal objetivo. Deus, louvado seja, nos fala no Alcorão: “...  É-vos prescrito o jejum, como foi prescrito aos que foram antes de vós, para serdes piedosos...” (2:183).

É o jejum verdadeiro que caracteriza a moral, educação do homem, pois a abstinência da comida e da bebida não é um regime para emagrecer, mas, sim, para a purificação da alma e expiação dos pecados. O profeta Muhammad falou que os resultados que jejuadores alcançam não passas de fome e da sede.  Na época do Profeta, duas mulheres sentaram, no mês do Ramadan, e começaram a fazer uma fofoca. O que o profeta Muhammad falou? Que essas duas mulheres jejuam deixando as coisas lícitas e desjejuam cometendo as coisas ilícitas, fazendo fofocas. Assim, o jejuador deve esforçar-se para conseguir os valores morais, deixando a comida, a bebida e a prática sexual durante o período que lhe é negado para jejuar de coração.

3 – O terceiro tesouro: o Tarawih

Neste mês do Ramadan, meus queridos irmãos, além das nossas obrigações religiosas que praticamos diariamente, há outra ação que o nosso profeta Muhammad nos recomendou: assim como você passou o dia jejuando, você deve passar a noite rezando. Queridos irmãos, durante as rezas noturnas, enquanto muitas pessoas ficam dormindo, uma minoria virtuosa se levanta, reza e suplica.

Nesse momento, Deus aceita e responde à súplica. Se você tem algum problema para resolver, uma doença ou dívidas, ou qualquer problema acorde, levante suas mãos para o teu Senhor e as portas do céu se abrirão neste momento.

Mas neste mês do Ramadan, além dos três tesouros celestes, temos também mais três presentes enviados por Deus, louvado seja.

Primeiro presente: é o perdão de todos os pecados. O Profeta falou que quem jejua no mês do Ramadan com fé e sinceridade, Deus o perdoará de todos os seus pecados, entretanto, se uma pessoa não pode jejuar por algum motivo, há mais uma oportunidade, se trata do Tarawih, quem faz essa oração tem seus pecados perdoados por Deus.

Segundo presente: o Profeta falou que uma reza voluntária feita durante o mês do Ramadan tem o valor de uma reza obrigatória; e uma reza obrigatória equivale a 70 vezes.

Terceiro presente: o Lailatul Qadr (A noite da honra) é a melhor do ano. No Alcorão Sagrado, Deus nos fala: “A noite de Al Qadr é melhor que mil meses” (97:3). A adoração durante esta noite, equivale a 83 anos de adoração.

Queridos irmãos, os tesouros que Deus nos mandou são os que realmente valem em nossas vidas. Todos os demais tesouros da vida moderna ficarão por pouco tempo e, vão fica por pouco tempo e depois os deixaremos quando morrermos; ou ainda, nós os perderemos ainda em vida; mas os tesouros celestes com certeza os teremos sempre se seguirmos o caminho de Deus corretamente.

Pedimos a Deus que aceite nosso jejum, nossas rezas e nossas ações neste mês do Ramadan, porque Ele é o Poderoso, o Misericordioso.

Sheikh Mohamad Al Bukai - 21/08/2009